segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Situação de ônibus usado no transporte público é analisada pela Ernest & Young

Por Maristela Silva
Auditoria encomendada pela prefeitura de São Paulo mostra não cumprimento de contratos
Quem utiliza o transporte em público na cidade de São Paulo sempre tem uma reclamação a fazer, seja pela espera pelo ônibus ou pela má conservação do coletivo. Em 2013, protestos tomaram conta do país com jovens e adultos reivindicando melhores condições e reclamando do aumento na passagem. O aumento foi revogado e agora a prefeitura da cidade pagou R$ 3,9 milhões para a empresa de auditoria Ernest & Young analisa a prestação de serviço e as contas do serviço.
Nesta primeira semana de dezembro a prefeitura começou a divulgar alguns dados colhidos pela auditoria e revelou que a cada 10 viagens programadas, 1 não se concretiza. O descumprimento do horário de partida de cada ônibus usado no transporte pública da cidade prejudica a população, que enfrenta atrasos e superlotação. O uso de ônibus com idade superior a 10 anos também vai contra os contratos mesmo sendo fato corriqueiro na cidade.
Outro problema grave encontrado pela E&Y diz respeito à frota de veículos e garagens. Com a verificação independente constatou-se que 20,9% dos coletivos não possuem os itens necessários por contrato. O fato ressalta a necessidade de renovação constante da frota dos ônibus, especialmente no transporte público urbano. A auditoria fez a análise com base em 37 itens e destacou itens importantes, como “praticamente nenhum ônibus possuía microcâmeras em todos os locais previstos e cerca de metade dos ônibus vistoriados não tinha o triângulo de segurança com acesso fácil para o motorista”.

Como resolver o problema?

Uma alternativa constante em todo o relatório apresentado pela Ernest & Young para melhorar o transporte público de São Paulo de forma rápida é investir na fiscalização e aplicação de multas para empresas e concessionárias que descumprirem as normas estabelecidas claramente em contrato.
O documento diz: “Salientamos a necessidade de revisão do modelo de monitoramento e penalização pelaSPTrans, especialmente nos temos “Verificação de Requisitos Mínimos” e “CobrançasAdministrativas”. A auditoria recomenda ainda a implantação de um sistema de monitoramento de descumprimento de partidas por GPS, afim de melhorar a oferta de ônibus usado pela população.

Transporte rodoviário também apresenta problemas em alguns casos

Por não ter nenhum tipo de vínculo com a iniciativa pública, os ônibus rodoviários e os operados por empresa de fretamento de ônibus costumam ser mais bem conservados e apresentar melhores condições de viagem. 
No entanto, inúmeros passageiros reclamam sobre a falta de informação nos guichês das companhias de transporte e também dos terminais rodoviários de algumas cidades, que não possuem conservação adequada. A conservação das rodovias também é um ponto a ser analisado pelo poder público, uma vez que causa inúmeros acidentes e mortes todos os anos.
Fontes: 
https://drive.google.com/a/wsidm.com.br/folderview?id=0B724o3NxjlCIR2czUWc0UHJ1MDg&usp=sharing#
http://www.tursan.com.br/site/

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...