sábado, 26 de fevereiro de 2011

Proibição da circulação da Volkmann nos corredores de ônibus preocupa pomerodenses

A proibição da circulação de ônibus intermunicipais no corredor de ônibus de Blumenau desagrada grande parcela da população pomerodense e de cidades vizinhas desde que o projeto estava somente no papel. Com a implementação do projeto, as reclamações não param de chegar à redação do Jornal de Pomerode.
Os usuários do transporte intermunicipal questionam quais são as vantagens do Serviço Autônomo Municipal de Trânsito e Transportes, Seterb, ao proibir a entrada dos ônibus de cidades vizinhas, que trazem trabalhadores e consumidores a Blumenau. “Como usuária, posso apontar o contrário, ou seja, quais são as desvantagens, já que os prejuízos para cada um de nós usuários são enormes. Em certos casos, temos que pagar mais do que o dobro de transporte, viajar em ônibus lotados em Blumenau, ter que sair antes de casa e voltar mais tarde, descontentamento e decepção”, aponta por e-mail, uma das leitoras do JP.
Entre as reclamações, os usuários acreditam que a medida fará com que aumente o trânsito de veículos de passageiros, pois, com o preço elevado do transporte, utilizarão carros, motos, outros optarão pelas vans e alguns trocarão de emprego, deixando de pagar seus impostos e fazer compras em Blumenau. “Ou seja, a medida tende a ser menos vantajosa para o consórcio Siga e para os cofres municipais, do que o inicialmente planejado”, avaliam.
Uma internauta sugeriu bom senso às autoridades, pois os poucos ônibus intermunicipais não causam engarrafamentos, especialmente com os corredores em operação. “Mas a proibição arbitrária trará mais congestionamentos, indo na contramão do Projeto Blumenau 2050”.
Outra leitora, Tatiane C. V. Just, explica que trabalha em Blumenau e também necessita utilizar diariamente o transporte coletivo. “Muitas pessoas de Pomerode devem estar se perguntando como vai ficar sua situação. Vários trabalhadores serão prejudicados”.
Entenda a situação
As empresas de ônibus intermunicipais serão notificadas e informadas que, a partir do dia 10/04, não poderão mais compartilhar a infraestrutura do transporte coletivo urbano de Blumenau.
Estudos estão sendo realizados com objetivo de fazer a integração física e tarifária entre o transporte intermunicipal e o transporte coletivo blumenauense. Para isso, um grupo de trabalho foi constituído, envolvendo técnicos do Departamento de Trânsito e Terminais (Deter), Serviço Autônomo Municipal de Trânsito e Transportes (Seterb), Consórcio Siga e consultoria contratada pelas empresas de ônibus intermunicipais, que tem por objetivo concluir os trabalhos e oferecer esta inovação para o transporte coletivo da região.
A consultoria curitibana representa as três empresas de Transportes, Coletivos Volkmann Ltda., Auto Viação Rainha Ltda. e Viação Verde Vale. “Estamos elaborando um projeto de integração físico tarifária. A empresa responsável garantiu a integração da região metropolitana de Curitiba. Investimos neste projeto na tentativa de beneficiar a população. Se o passageiro tiver mais gastos e ficar insatisfeito com o serviço oferecido, também seremos prejudicados”, explicou Peter Stephan Volkmann, que atua na Gestão de Pessoas da empresa.
Segundo a empresa Volkmann, o projeto está previsto para ser concluso em 90 dias. “Caso seja necessário, solicitaremos a ampliação do prazo, ou seja, se não tivermos o projeto em mãos até o dia 10/04, pediremos mais 60 dias”, complementa.
Visão do Seterb
Em contato com o Seterb, através do presidente Rodolfo Clebesch, o mesmo informou que a intenção na verdade, é criar um sistema de integração que leve passageiros de Pomerode, por exemplo, até Ilhota, Blumenau e outras cidades que farão parte deste sistema. “Será uma interligação metropolitana, onde o passageiro pagará apenas uma passagem para ir a todos esses lugares”, relata o presidente. Segundo ele, isso melhorará significativamente o transporte da região.
O segundo motivo que leva os passageiros da empresa Volkmann a não poderem mais desembarcar no corredor de ônibus de Blumenau, é o trânsito da cidade. “Há 15 anos, quando implantamos o sistema integrado, 130 mil blumenauenses por dia, tiveram que sair da comodidade de pegar apenas um ônibus para chegar a qualquer lugar da cidade. Todas, desde aquela época, têm que desembarcar em algum terminal para se dirigir ao centro da cidade. Isso, já há 15 anos, fez com que dois mil ônibus parassem de circular pelo centro de Blumenau por dia”, relata.
Atualmente, seis mil pessoas, em média, vêm de outros municípios diariamente até Blumenau. A intenção é que elas desçam em um ponto específico, não paguem outra passagem, e de lá, sigam até os pontos desejados através dos ônibus disponibilizados pelas empresas específicas da cidade. “Serão linhas alimentadoras centrais, que farão o trabalho de levar e buscar esses passageiros aos pontos da cidade, isso, sem custos ou tarifas adicionais ao passageiro”.
O presidente finaliza relatando que até 10 de abril, possivelmente esse sistema piloto deva entrar em vigor. “Desejamos que isso aconteça”, finaliza.
Fiscalização
Desde a última segunda-feira, dia 21, o primeiro trecho do corredor exclusivo de ônibus, localizado na Rua Sete de Setembro, está sendo fiscalizado pelos agentes da Guarda Municipal de Trânsito. Os corredores são faixas exclusivas dedicadas à circulação do transporte público coletivo de Blumenau.
A regulamentação está prevista no Artigo 184 do Código de Trânsito Brasileiro, que regulamenta a faixa da direita como de circulação exclusiva para determinado tipo de veículo, exceto para acesso a imóveis lindeiros ou conversões à direita. Para o condutor que não respeitar a sinalização, será aplicada a notificação de trânsito. A infração é leve e o valor é de R$ 42 até o vencimento.
Saiba mais
Os corredores de ônibus estão em funcionamento desde o dia 16 de janeiro na Rua 7 de Setembro. Está prevista para o início abril, a instalação das estações de pré-embarque, onde o passageiro efetuará o pagamento da passagem antes de entrar no ônibus.
Corredores de ônibus
Os corredores de ônibus são vias, exclusivas ou preferenciais, dedicadas à circulação de transportes públicos rodoviários, para que haja maior fluidez no tráfego. Com o objetivo de proporcionar mobilidade urbana, especialmente nos horários de pico, a Prefeitura planejou a implantação de nove trechos de corredores na área central do município. A mudança permitirá que o transporte coletivo tenha uma faixa própria na qual poderá circular com mais velocidade e chegar próximo ao horário esperado pelo usuário, tanto nos pontos de rua quanto nos terminais.
Cronograma de obras
As obras estão sendo realizadas nas Ruas 7 de Setembro, Engenheiro Paul Werner, São Paulo e 2 de Setembro, e nas Avenidas Beira-Rio e Martin Luther. A obra é executada com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no valor total de R$ 4,6 milhões.
Em etapas posteriores, os corredores de ônibus serão implantados em mais oito trechos: T1 – Rua Sete de Setembro (Rua São José até Rua Amazonas); T2a – Avenida Beira-Rio (Início até ponte Adolfo Konder); T2b – Avenida Beira-Rio (Ponte Adolfo Konder até Avenida Martin Luther); T3 – Avenida Martin Luther (Início até Rua Heinrich Hosang); T4 – Rua São Paulo (Saída Ponte Tamarindo até Rua Henrique Clasen); T5 – Rua Engenheiro Paul Werner (Colégio Machado de Assis até Rua São Paulo); T6 – Rua São Paulo (Rua Antônio da Veiga até Rua Pedro Zimmermann); T7 – Rua 2 de Setembro (Ponte Udo Deeke até Rua Santa Catarina); T8 – Rua 2 de Setembro (Rua 25 de Julho até Ponte Parada 1 - contra-fluxo).

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...