segunda-feira, 14 de março de 2011

Especial do Mês: Em busca da solução ideal (Projecto Autocarro Europeu do Futuro)...

Em 2007, a Comissão Europeia lançou como um dos grandes desafios da investigação em transportes “conceber e desenvolver um sistema de autocarro inovador, de elevada qualidade, que demonstre todo o potencial de uma nova geração de redes urbanas de autocarro … e que estimule as cidades europeias a apostar em novos sistemas de autocarro mais atractivos e que contribua para promover a posição competitiva dos fabricantes e operadores europeus.” Em Setembro de 2008, como resposta a esse desafio, tem início o projecto European Bus System of the Future (EBSF), com conclusão prevista para Agosto de 2012.
Dois anos volvidos, é possível iniciar a divulgação dos principais aspectos inovadores resultantes do trabalho entretanto desenvolvido, muitos dos quais estão em teste em algumas cidades europeias.Esta é primeira abordagem ao tema do autocarro europeu do futuro baseado no projecto de investigação European Bus System of the Future (EBSF) co-financiado pela Comissão Europeia no âmbito do 7º Programa Quadro. Nesse sentido, esta abordagem está orientada por forma a transmitir uma imagem geral sobre o projecto, seus objectivos, principais marcos e blocos de desenvolvimento.
A Problemática
Hoje, o autocarro continua a posicionar-se como a solução universal para um desenvolvimento urbano sustentável, sendo responsável por cerca de 80% do transporte púbico europeu. Com o aumento do congestionamento e os problemas ambientais sentidos cada vez mais nas cidades europeias, torna-se vital encontrar formas de aumentar a sua atractividade, o que implica olhar de forma integrada para o veículo, a infra-estrutura e o serviço.
A Visão
Globalmente, o projecto EBSF pretende contribuir para aumentar a atractividade e a imagem das redes de autocarro nas cidades europeias, através da adopção de novas tecnologias no veículo e nas infra-estruturas e de boas práticas no serviço, integradas numa perspectiva sistémica.
Adicionalmente a esta componente mais técnica, pretende-se que esta perspectiva sistémica seja alargada também ao próprio sistema de actores nele envolvido - autoridades organizadoras e municípios, operadores e fabricantes. Pela primeira vez na investigação europeia de transportes, este conceito é plenamente aplicado, com os principais fabricantes de autocarro (Man, Volvo, Irisbus-Iveco e Evobus) a colocarem as suas valências industriais ao lado dos operadores e autoridades num projecto competitivo.
Tal leva a que o EBSF assuma grande importância estando a ser desenvolvido por um conjunto de 46 entidades, representando 10 países europeus. Portugal está representado pela empresa de consultoria TISpt, Transportes, Inovação e Sistemas.
O Conceito de Autocarro “Ideal”
O conceito de autocarro ideal corresponde ao autocarro que simultaneamente dá resposta às necessidades dos utilizadores que dele beneficiam nas suas deslocações diárias (frequência, segurança, conforto, …), da comunidade que define os níveis a que o serviço deve responder (investimento moderado, diminuição do congestionamento, promoção do desenvolvimento urbano e imagem, …), do operador que gere e opera uma determinada frota (menores custos operacionais, flexibilidade, …) e dos fabricantes que desenvolvem os veículos.
Infelizmente, apesar de todos os desenvolvimentos e processos de inovação que têm vindo a ser realizados ao longo dos últimos anos, o autocarro continua a ser percebido como um modo pouco atractivo, demonstrando que a aposta feita na componente tecnológica tem sido insuficiente para os utilizadores alterarem a sua percepção sobre este modo.
Assim, o conceito do futuro autocarro europeu (EBSF) coloca a Inovação como aspecto central de todo o desenvolvimento, e presente em todas as suas dimensões:
• Sistema: Identificação das necessidades e requisitos dos utilizadores, definição de indicadores chave de desempenho, arquitectura e requisitos do sistema e subsistemas (veículo, infra-estrutura, serviço)
• Componente Técnica: Desenho de protótipos de veículos e componentes de infra-estrutura, ferramentas de simulação, conceitos operacionais e custos associados
• Aplicações Práticas: Teste das tecnologias e conceitos inovadores em ambiente real de operação
• Visão Estratégica: Visão do EBSF, recomendações para normalização, implementação da estratégia, contribuição para a Agenda Europeia de Investigação no domínio do autocarro, …
O Enfoque: Inovação
As soluções inovadoras que estão a ser desenvolvidas e testadas no EBSF cobrem uma grande diversidade de aspectos pelo que aqui se destacam somente alguns exemplos dessas soluções em cada uma das 3 áreas de desenvolvimento. Mais informação e detalhe poderão ser obtidos através da página de internet do projecto em www.ebsf.eu.
No Veículo
No que ao veículo se refere, o EBSF faz a identificação e especificação de soluções técnicas e tecnológicas tendentes a diversos tipos de melhorias a diversos níveis: posto de condução, energia consumida, acessibilidade ao veículo, desempenho operacional, modularidade interna e externa, sistemas de guiamento, plataformas tecnológicas embarcadas, etc.. Refira-se que é, naturalmente, ao nível do veículo que mais se destaca a colaboração empenhada dos fabricantes de material circulante, tendo todos contribuído para um veículo melhor.
Das diversas soluções encontradas, destacam-se, a título exemplificativo:
» A melhoria do Posto de Condução, através da observação e análise, do detalhe de especificações e da produção de recomendações cobrindo os aspectos tão diversos como Eficiência e Conforto, Acesso ao lugar, Ergonomia, Visibilidade, Dispositivos e elementos de actuação, Eficiência na condução e Segurança.
» A Acessibilidade no e ao Veículo, através do desenvolvimento de soluções que permitem melhores acessos e facilitam a movimentação de passageiros optimizando o tempo nas paragens (simulação de fluxos), optimizando o sistema de abertura e fecho de portas, explorando sistemas de guiamento vertical e permitindo diferentes configurações de lugares disponibilizados

» A Modularidade, através de soluções que a permitem melhorar …
» do ponto de vista externo, através da análise conceptual de diferentes cenários de modularidade externa do veículo procurando uma maior adequabilidade e adaptabilidade em função do número de passageiros a servir ao longo do percurso (por exemplo, em situações em que existem procuras fortes num tronco comum e procuras mais rarefeitas nos extremos a servir), e
» do ponto de vista interno, através da incorporação de assentos rebatíveis electronicamente e assentos deslizantes, permitindo que um mesmo veículo se adapte facilmente a diferentes níveis de procura.

Na Infra-estrutura
No respeitante à infra-estrutura, o EBSF aborda os diversos elementos fixos do sistema de transportes, nomeadamente as paragens, os corredores e as políticas de transporte e regras de trânsito para os serviços urbanos de autocarros, os interfaces, as questões associadas ao back-office, entre outros.
Das diversas soluções encontradas, destacam-se, a título exemplificativo:
» Soluções de back-office, através de centros de coordenação multi-frota com diferentes aplicações telemáticas, que podem ir desde a transmissão de dados e análise de bilhética utilizada até aplicações de diagnóstico remoto ao nível do veículo.
» Novos desenhos de paragens, definidos de acordo com os requisitos identificados pelos passageiros, operadores e autoridades, cidades, serviços e comércio local. O desenho de paragens pretende transmitir uma nova imagem do sistema, com novos serviços associados e suportes de informação e comunicação, maior integração na cidade, aumento do conforto, etc., tendo ainda como principais características a capacidade de serem facilmente relocalizáveis e corresponderem a uma aposta forte no uso de energias alternativas.
No Serviço
No respeitante ao serviço, a aposta principal do projecto EBSF está na inovação dos sistemas tecnológicos e de informação, nomeadamente através da informação ao passageiro, gestão de frota, gestão energética, assistência em viagem, diagnóstico remoto, monitores, informação e entretenimento.
No entanto, também existe uma pesquisa forte ao nível dos equipamentos de integração, como, por exemplo, a redução do número de antenas, a melhoria de interface entre veículos e centros operacionais, estabelecimento de novos protocolos de comunicação, ou ainda, no desenho e utilização de ecrãs multi-aplicação para todo o tipo de aplicações virtuais.
Próxima Etapa
2011 será o ano chave do EBSF no que respeita à verificação da aderência das propostas à realidade das cidades europeias, já que terão início (ou continuarão, em alguns casos) os testes em operação. Estes testes decorrerão em 7 cidades (Roma, Bremerhaven, Budapest, Gotemburg, Madrid, Rouen, Brunoy), com períodos de demonstração que variam entre os 6 meses e os 18 meses.
Em conclusão …
Poder-se-ia dizer que parte do que é proposto neste projecto já existe. Quem esteve presente no workshop do ITS Portugal teve oportunidade de ver que a Carris e a Rodoviária de Lisboa, como outros operadores rodoviários portugueses, têm em operação alguns dos sistemas tecnológicos aqui referidos: centros de controlo de tráfego, sistemas de informação em tempo real ou ainda monitores a bordo com o objectivo de informar e entreter durante a viagem. O “golpe de asa” do EBSF, a sua grande inovação, é a aposta na integração e no desenvolvimento conjunto de diversas aplicações. De facto, o EBSF tem na diversidade e na integração a sua grande mais-valia, procurando tornar claro que o conjunto veículo, infra-estrutura e serviço é mais forte que a simples combinação das partes, mas também (e talvez sobretudo) a capacidade de envolver num mesmo grupo de trabalho os diversos tipos de agentes, muitos dos quais normalmente funcionam em contextos de pura competição.
Daniela Carvalho, (TIS), in TR 94

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...