terça-feira, 9 de abril de 2013

Vias travadas em SP terão corredor de ônibus com catraca em plataforma

Em audiência pública, Prefeitura apresentou plano de novos corredores.
Avenidas Bandeirantes e 23 de Maio terão faixas exclusivas.
A Prefeitura de São Paulo pretende construir corredores de ônibus nas avenidas Bandeirantes e 23 de Maio, na Zona Sul, e Celso Garcia e Radial Leste, na Zona Leste. Os usuários pagarão a passagem antes de entrar nos coletivos, ainda nas plataformas de embarque.
Os detalhes do projeto dos novos corredores de ônibus foram apresentados pela Secretaria de Transportes em uma audiência pública, na manhã desta terça-feira (9). A administração municipal prepara a licitação para a construção de 147 km de corredores de ônibus e 12 terminais, principalmente nas zonas Sul e Leste.
saiba mais
O projeto prevê que os ônibus circulem, na maior parte dos casos, na faixa da esquerda e as outras fiquem livres para os carros. Em alguns trechos, os coletivos terão espaço para ultrapassar outros ônibus, o que tornaria o sistema mais ágil. O projeto ainda inclui a construção de ciclovias ao longo de todos os novos corredores.
A administração municipal não quer que haja interferências que possam reduzir a velocidade dos coletivos, como semáforos. O plano prevê a construção de túneis e pontes para evitar que os ônibus percam tempo no trajeto. Em São Paulo, os ônibus dividem espaços com os táxis. À noite e nos fins de semana, até os carros podem usar os corredores.
Na Zona Sul, além das avenidas dos Bandeirantes e da 23 de Maio, outros 62 km de corredores serão construídos nas avenidas Engenheiro Luiz Carlos Berrini, Sabará, Miguel Yunes, Carlos Caldeira, Cocaia, Belmira Marin, M'Boi Mirim e Vila Natal.
Já na Zona Leste, Celso Garcia e Radial Leste, acontecerão obras nas perimetrais Itaim Paulista- São Mateus e Bandeirantes-Salim Farah Maluf, o que totaliza 85 km de vias exclusivas para o transporte coletivos.
A expectativa é que as obras comecem em 2014 e custem R$ 7 bilhões. O cronograma de obras não foi divulgado pelo secretário dos Transportes, Jilmar Tatto, que apresentou o projeto durante a audiência pública.
Sobre a possível interferência negativa das obras no tráfego, o secretário enfatizou que o objetivo da gestão de Fernando Haddad (PT) é priorizar o transporte público. “São Paulo já está praticamente parada em horário de pico em alguns trechos. Todo o plano é no sentido de qualificar e melhorar o transporte coletivo para que as pessoas migrem [para o transporte público]”, afirmou. 
Terminais de ônibus
O projeto apresentado nesta terça-feira inclui ainda a construção de seis terminais de ônibus nas zonas Leste (São Mateus, Itaim Paulista, Tiquatira, Vila Maria, Concórdia), Sul (Aeroporto, Jardim Miriam, Baronesa, Varginha, Jardim Eliana, Pedreira) e Norte (Anhanguera). Todos eles terão bicicletários. 
Bicicletas
Segundo Tatto, a Prefeitura estuda a longo prazo conceder à iniciativa privada a possibilidade de disponibilizar bicicletas que serão integradas ao sistema público de transporte através do Bilhete Único. Com o sistema, o usuário poderia fazer um trecho do seu percurso de bicicleta e deixar o equipamento próximo a uma estação de Metrô. A integração tarifária e operacional é bastante complexa e, por isso, a Prefeitura pode implementar um plano piloto em algum bairro.
Para o secretário, o “sonho” seria reduzir a velocidade das vias secundárias para 40 km/h e fazer com que os ônibus circulem também nessa velocidade. “Assim, pode-se compartilhar a via com a bicicleta. Se agente conseguir compartilhar, grande parte pode sair do carro e migrar para a bicicleta”, disse.
Desapropriações
O projeto da construção de corredores prevê ainda que sejam feitas desapropriações de quadras inteiras para a realização das obras viárias e para a construção de imóveis residenciais. O objetivo é promover o adensamento demográfico nessas regiões, que passarão a ser melhor integradas ao sistema público de transportes.
“Não adianta fazer um corredor bonito com o entorno todo degradado”, observou o secretário. A ideia da Prefeitura é estabelecer parcerias com o setor imobiliário para que ele se encarregue de construir e comercializar imóveis próximos às novas vias exclusivas para ônibus.
Os detalhes do projeto de construção de corredores estão disponíveis no site da SPTrans.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...