quinta-feira, 21 de maio de 2015

Sindicato tenta evitar 500 demissões na fábrica da Mercedes

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC se reúne nesta quarta-feira com a direção da Mercedes-Benz para tentar evitar 500 demissões na fábrica de São Bernardo do Campo (SP), onde são produzidos caminhões e ônibus. O corte foi confirmado na segunda-feira, 18, após o encerramento de um programa de demissão voluntária (PDV) que, segundo a empresa, teve baixa adesão.
O PDV foi acertado em abril, após a montadora divulgar que faria 500 demissões e os trabalhadores realizarem greve por cinco dias. O grupo, que estava em lay-off há um ano, teve o prazo do programa prorrogado até 15 de junho. Com poucas adesões ao PDV, contudo, a montadora afirmou que precisa encerrar os 500 contratos até o dia 29. A empresa alega ter excedente de 1.750 funcionários na unidade.
Sem dar detalhes, o sindicato informou que a entidade "tomará providências" caso não consiga um acordo com a empresa. A Mercedes também anunciou férias coletivas de cerca de 15 dias para os 7 mil trabalhadores da produção, a partir de 1º de junho.

Volvo

Na Volvo, em Curitiba (PR), metade dos 4,2 mil trabalhadores que entraram em greve há 12 dias voltou ao trabalho na segunda-feira. A maioria é do setor administrativo. A paralisação teve início após a empresa encerrar o segundo turno de trabalho e avisar que tinha 600 trabalhadores excedentes.
O pessoal da produção segue paralisado e esta já é a greve mais longa desde o início das operações da fábrica paranaense, no fim dos anos 70. A empresa concordou em abrir um PDV e colocar parte do pessoal ocioso em lay-off, mas há um impasse nas negociações relativo ao aumento real de salários e pagamento da primeira parcela da Participação nos Lucros e Resultados (PLR).
Ford 

Também confirmou que dará férias coletivas a 2,8 mil trabalhadores da produção em Camaçari (BA), paralisando assim toda a linha dos modelos Ka e EcoSport entre 25 de maio e 3 de junho, emendando com o feriado de Corpus Christi.

Scania

Outra fabricante de caminhões e ônibus que vai parar na semana do feriado é a Scania, em São Bernardo. Durante todo o mês de maio a unidade está trabalhando quatro dias por semana. A Iveco tem 200 operários que estão trabalhando apenas três dias por semana desde meados de abril e manterá essa agenda na fábrica de Sete Lagoas (MG) até julho.
De janeiro a abril, a produção de caminhões caiu 45% em relação a igual período de 2014. A produção de ônibus teve queda de 26,6% e a de automóveis e comerciais leves, de 15,8%. A maioria das montadoras opera com alguma medida de corte na produção, seja por meio de férias, lay-off ou PDV.
Fonte: Agência Estado

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...