terça-feira, 11 de setembro de 2012

Ônibus de Xangai protegem a saúde dos passageiros empregando o cobre no sistema de ar condicionado

JULIANA RAMOS  
Os ônibus públicos são o principal meio de transporte para moradores de Xangai. A população urbana passa aproximadamente 8% do dia viajando de ônibus, ou seja, cerca de uma hora e meia. Para proteger a saúde desses passageiros, aparelhos de ar condicionado com ligas de cobre foram instalados nos ônibus para controle de bactérias, vírus e fungos, os quais podem viver em fiações feitas de outros materiais e, assim, circular pelo veículo.
A qualidade do ar nos ônibus é uma preocupação, pois patógenos transportados pelo ar podem ser transferidos de um passageiro a outro, contribuindo para surtos de doenças. O cobre e suas ligas, como latão e bronze (denominados ‘cobre antimicrobiano’), foram instalados em hospitais, escolas e centros de transporte do mundo inteiro pela sua capacidade comprovada de eliminar patógenos que causam doenças. Esses materiais são usados em superfícies de contato frequente, como maçanetas, corrimãos, torneiras e interruptores. Pesquisas analisando a eficiência do cobre antimicrobiano em sistemas de aquecimento, ventilação e ar condicionado (sistemas HVAC) aumentou o interesse em implementar esses materiais nesse tipo de sistema.
A cidade de Xangai é pioneira na implementação de sistemas HVAC que utilizam o cobre antimicrobiano em ônibus, substituindo fios mais comuns de alumínio que não possuem o efeito do cobre antimicrobiano. As propriedades antimicrobianas dos fios de cobre permitem eliminar bactérias, fungos e vírus que se acumulam nesse tipo de sistema, mantendo as superfícies limpas por mais tempo, aumentando a vida útil dos aparelhos e melhorando a qualidade do ar.
Explorando o potencial desses sistemas, o Centro Municipal de Xangai para Controle e Prevenção de Doenças (SCDC) realizou testes entre 2010 e 2012. Vários ônibus operando em horários e locais semelhantes foram equipados com fios e radiadores de cobre e alumínio e o nível de contaminação foi monitorado.
O centro descobriu que os níveis de micróbios em superfícies de cobre foram muito menores comparados às superfícies de alumínio, reforçando os resultados recém-publicados de uma pesquisa semelhante realizada nos EUA num ambiente de laboratório.
Dr. Michael Schmidt, Professor e Vice-Presidente de Microbiologia e Imunologia da Universidade Média de Carolina do Sul, e sua equipe, publicaram uma pesquisa avaliando a eficácia do cobre antimicrobiano na redução de contaminação em sistemas de aquecimento, ventilação e ar condicionado.
Eles realizaram um estudo comparativo, avaliando sistemas de ventilação fabricados com cobre antimicrobiano ou alumínio por sua capacidade de limitar o crescimento de micróbios, usando sistemas HVAC com fluxos de ar normais e empregando ar do ambiente externo em uma única passagem.
Eles descobriram que os componentes comuns fabricados de alumínio desenvolveram biofilmes estáveis de bactérias e fungos dentro de quatro semanas de operação, enquanto as propriedades antimicrobianas do cobre conseguiram limitar a carga de bactéria com um trocador de calor usando fios de cobre em 99,99%, e a carga de fungos em 99,74%, durante o mesmo período de tempo.
Os resultados revelam a importância do cobre antimicrobiano na redução de contaminação em superfícies de refrigeração, o que pode aumentar a qualidade do ar e a eficiência de sistemas HVAC. A pesquisa da SCDC envolvendo instalações em ônibus de Xangai apoia esses resultados.
As pesquisas dos EUA e da China foram realizadas na mesma época em que foram divulgados os resultados de uma pesquisa do Instituto Robert Koch, de Berlim: ‘Avaliação quantitativa de fluxos de passageiros na Europa e as implicações para o rastreamento de contatos de passageiros infecciosos’.2
Os pesquisadores da REACT3 – um programa europeu de pesquisa de doenças infecciosas – concluíram que “parâmetros ambientais influenciam o risco de transmissão de doenças infecciosas de um passageiro para outro em transporte público terrestre. A duração de exposição e a proximidade com outros passageiros são parâmetros importantes para avaliar o risco de transmissão de doenças, mas pouco sabemos da influência de parâmetros técnicos, como sistemas de ventilação em veículos terrestres, em transmissão.” As novas pesquisas representam o primeiro passo para preencher essa lacuna. 
Sistemas HVAC de cobre em ônibus de Shangai
Sobre o Procobre
O PROCOBRE – Instituto Brasileiro do Cobre é uma instituição sem fins de lucro cuja missão é a promoção do uso do cobre, impulsionando a pesquisa e o desenvolvimento de novas aplicações e difundindo sua contribuição ao melhoramento da qualidade de vida e o progresso da sociedade. O PROCOBRE faz parte da ICA - Internacional Copper Association, com sede em Nova Iorque encarregada de liderar a promoção do cobre mundialmente. 
Para mais informações visite: www.procobre.org.br 
Sobre a International Copper Association
A International Copper Association (ICA) difunde o conhecimento e uso de cobre comunicando os atributos únicos que tornam este elemento sustentável um colaborador essencial para a formação da vida, aos avanços na ciência e tecnologia e melhoria qualidade de vida em todo o mundo. Os 43 de membros da ICA representam a maioria da produção mundial de cobre refinado e estão entre os maiores produtores de cobre, fabricantes e companhias de cabos e fios.
Sobre a Copper Alliance™
Copper Alliance™ representa uma rede de centros regionais e membros da indústria, liderados pela ICA. 
A Copper Alliance™ e a ICA são responsáveis por conduzir as políticas e estrategia e o financiamento de iniciativas internacionais e atividades promocionais. Com sede em Nova Iorque, a organização possui escritórios regionais em Bruxelas, Nova Iorque, Santiago e Cingapura. As iniciativas e programas da Copper Alliance são executadas por mais de 60 países por meio de seus escritórios regionais e 27 centros de promoção do cobre.
Para mais informações visite: www.copperalliance.org 
Referências
1 Caracterização e Controle da Comunidade Microbial Afiliada ao Calor de Cobre e Alumínio 
Trocadores de Sistemas HVAC, Schmidt et al. 2012
http://www.springerlink.com/content/r67x04316w363203/fulltext.html
2 Avaliação quantitativa de fluxos de passageiros na Europa e as implicações para o rastreamento de contatos de passageiros infecciosos, M Askar, et al. 2012
http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=20195
3 Resposta para doenças infecciosas emergentes: Avaliação e desenvolvimento das principais capacidades e ferramentas

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...