terça-feira, 10 de novembro de 2015

De olho em 2016


Por Fábio Rogério

Assim como em outros setores do transporte, o segmento de ônibus sofreu com a quedas nas vendas provocada pela retração econômica. Se 2015 é um ano para esquecer, pelo menos o de 2016 é vislumbrado como um período melhor, onde eventos políticos (eleições para prefeitos) e esportivos (Olimpíadas no Rio) podem trazer algum alento às vendas.

Em 2014, toda a indústria vendeu 27.542 ônibus, segundo dados da Anfavea. Em 2015, esse cenário se agravou com a queda nos primeiros oito meses chegando a 29,9%, com 12.436 unidades vendidas. No mesmo período de 2014, haviam sido comercializados 17.782 chassis.

“Essa queda se acentuou em função da grande redução das compras do governo no programa Caminho da Escola. A redução, somada à restrição de crédito e à falta de confiança para o futuro, potencializaram a queda”, analisa Antonio Cammarosano, diretor de Vendas Nacionais da MAN Latin America. “2014 acompanhou a média dos últimos cinco anos, deixando o Brasil como o terceiro maior mercado mundial de ônibus, atrás somente de China e Índia, respectivamente. Já neste ano, como não poderia ser diferente, as vendas de ônibus acompanharam o cenário econômico. O segmento escolar foi o que mais sentiu, chegando a cair 64%. E a falta de regulamentação das linhas interestaduais deixou o segmento de rodoviários com uma queda de 39%. Acredito que 2015 fechará com um mercado entre 16.000 e 16.500 ônibus”, opina Walter Barbosa, diretor de Vendas e Marketing Ônibus da Mercedes-Benz. Enquanto para a MAN e a Mercedes-Benz as volatilidades do mercado nacional não são novidades, empresas novas como a Iveco Bus almejam entrar nesse disputado e difícil segmento mesmo com todos os obstáculos apresentando novidades. “Em 2014 a Iveco Bus deu um importante passo para a consolidação da marca no Brasil com o início da produção do chassi 170S28 e a comercialização das primeiras unidades. Hoje, o chassi já roda em empresas do Espírito Santo, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Amapá, Rondônia, Santa Catarina, Bahia e São Paulo. Além disso, o já conhecido modelo escolar da linha CityClass manteve uma boa representatividade no Programa Caminho da Escola, com aproximadamente 800 veículos vendidos no ano passado”, comenta Ricardo França, gerente comercial da Iveco Bus

As esperanças para 2016

“No ano que vem, esperamos resultados um pouco melhores, em virtude especialmente de processos de renovação de frotas já em curso em algumas capitais e cidades, onde o empresário terá que renovar por obrigações contratuais. A concretização dessa expectativa, no entanto, depende também da retomada da confiança do empresário brasileiro, da disponibilidade de financiamentos e da recuperação dos níveis da atividade econômica”, acredita Cammarosano, da MAN.

Para Antonio Cammarosano, diretor de Vendas Nacionais da MAN, mercado de ônibus sofreu em 2015 com a restrição de crédito e a falta de confiança do mercado com o futuro.

Antonio Camarosanno

Previstas para outubro de 2016, as eleições para prefeitos e vereadores são um fator a mais para motivação das fabricantes. “Temos, sim, uma expectativa de melhora no volume de vendas influenciada pelas eleições municipais, sobretudo no primeiro semestre, até como uma movimentação de compra antecipada. Algumas praças importantes como São Paulo, Porto Alegre e Juiz de Fora estão em processo de renovação de suas frotas de transporte público.

Nas cidades com novas licitações ou onde a idade média obriga renovações, as eleições municipais podem impulsionar as vendas, mas nada como uma grande retomada. Há ainda uma demanda represada, com cidades e empresas que, diante da crise econômica, postergaram investimentos para 2016”, comenta Antonio Cammarosano.

“Em 2014 a Iveco Bus deu um importante passo para a consolidação da marca no Brasil com o início da produção do chassi 170S28 e a comercialização das primeiras unidades”, fala Ricardo França, gerente comercial da Iveco Bus.

Ricardo França

Walter Barbosa, da Mercedes-Benz, é mais cauteloso: “Com as Olimpíadas no Brasil em 2016, esperamos um aumento na frota de ônibus no Rio de Janeiro (RJ). Em relação às eleições, o impacto no aumento de vendas depende de cada município para a compra de ônibus. Por isso, para o próximo ano, ainda é muito cedo para uma estimativa. Esperamos uma melhora gradativa nos próximos anos”.

“Acredito que 2015 fechará com um mercado entre 16.000 e 16.500 ônibus”, diz Walter Barbosa, diretor de Vendas e Marketing Ônibus da Mercedes-Benz.

Walter Barbosa

A Iveco Bus, que ainda “engatinha” em termos de vendas perto de seus principais concorrentes, projeta que o “mercado de transporte público tem muito a crescer ainda, principalmente para demandas de ônibus com ar condicionado”, segundo Ricardo França. “Um exemplo dessa demanda é a licitação que a prefeitura de São Paulo vai abrir no próximo ano, com a exigência de grande parte dos ônibus serem climatizados. E nosso chassi se adapta perfeitamente às exigências do município paulista”, finaliza o gerente comercial da Iveco Bus.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...