quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Comil anuncia nova fábrica no Sudeste...

(Presidente do Conselho de Administração da Comil,
 Deoclécio Corradi / Foto Sara Rubia Comin/DM)

Expansão não reduzirá produção na planta industrial de Erechim, onde projetos estão sendo finalizados para colocar em linha, a partir do próximo ano, carros mais sofisticados como o urbano piso baixo e o rodoviário double deck
Com 25 anos de existência e produzindo atualmente 18 carros/dia, a Comil Ônibus S.A., de Erechim, anuncia uma nova fábrica no país. O Estado e o município que sediarão o investimento ainda não foram definidos, mas a planta industrial será construída na região Sudeste, que compreende os estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. A unidade, que será voltada à produção de carrocerias para ônibus urbanos e terá capacidade instalada inicial para dez veículos/dia deverá entrar em operação em 2012.
O presidente do Conselho de Administração da Comil, Deoclécio Corradi explica que a decisão foi tomada levando em consideração a questão logística, redução do custo do transporte do chassi e outras matérias-primas e também no fato de 70% do produto ser consumido por aquela região.
“A escolha do local da nova fábrica deveria ser definida no mês de agosto e a decisão levará em contra benefícios fiscais, além de mão de obra e infraestrutura logística que facilite a chega de matérias-prima. A expansão da Comil para o Sudeste atinge um mercado que Erechim não consegue chegar pela distância, uma vez que a maioria dos chassis é produzida em SP e RJ”, esclarece.
Com a linha urbano mais padronizada (tamanho e especificações) sendo transferida para a fábrica no Sudeste, abre espaço, na indústria de Erechim, para serem produzidos outros dois novos produtos mais sofisticados: o urbano pixo baixo – com embarque e desembarque de passageiros feito no mesmo nível do meio-fio, portas largas e sem degraus – e o rodoviário double deck, que deverão entrar em linha no próximo ano.



De acordo com Corradi, a nova unidade da Comil não significa redução da fábrica em Erechim, mas sim novo mercado e consequentemente maior produção, que continuará demandando mão de obra. “Hoje se compete com o mundo e qualquer benefício dado à indústria atinge a comunidade em forma de renda e emprego”, observou.
Apesar do preço do dólar, as exportações representam de 20 a 25% da produção da Comil. Argentina, Chile, Peru e México são os principais mercados consumidores da fábrica de ônibus de Erechim.
Com, aproximadamente, 2.800 funcionários, e mantendo sua linha de produção que envolve a fabricação de ônibus nos modelos micro, urbano, intermunicipal e rodoviário, o aniversário de 25 anos da empresa foi e continua sendo comemorado com diversas atividades. Um livro sobre a história da Comil e do ônibus, em Erechim, será impresso e lançado neste segundo semestre. A obra fará ligação com a história da cidade.
Para aproveitar o momento do mercado, a Comil realizou ajustes na linha de produção para ampliar também a capacidade da fábrica em Erechim. O objetivo é fechar o ano de 2011 com uma média superior 16 carros/dias, mas a previsão é que os números apontem a marca de 20 carros/dia em dezembro.
Entre as metas também está a de alcançar, em 2011, uma receita bruta superior a R$ 500 milhões, ante os R$ 371,4 milhões no ano passado, garantidos com a produção de 3.245 veículos, 22,5% maior em relação a 2009.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...