sábado, 12 de novembro de 2011

Novo ônibus à pilha entra em testes no próximo ano


Ônibus movido a hidrogênio com pilha combustível: A Coppe testa a mais de um ano o H2, o veículo hibrido elétrico que pode alimentado de três formas.

Com intuito de reduzir as emissões de gases poluentes, as montadoras estão investindo no desenvolvimento de ônibus mais ecológicos. A Mercedes-Benz e a Volvo já têm modelos mais sustentáveis. A primeira a linha BlueTec 5, que emite menos partículas. Também está apostando em um combustível mais amigável do ambiente, em fase de testes em São Paulo e no Rio. A Volvo anuncia o ônibus híbrido, movido à eletricidade e a diesel, que começa a ser fabricado no Brasil em 2012.
Em 2012, a Coppe/UFRJ lançará um ônibus elétrico. A Coppe testa há mais de um ano o ônibus H2, um veículo híbrido elétrico, que pode ser alimentado de três formas: por uma tomada ligada à rede elétrica tradicional, por uma pilha a combustível (hidrogênio) ou por meio da regeneração da energia cinética dos freios.
A tecnologia verde é uma exigência dos governos. No Brasil existe o Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve- P7), que exigirá a partir de janeiro de 2012 redução de 80% nas emissões de partículas e 60% nas emissões de óxidos de nitrogênio.
Para estimular o interesse dos fabricantes, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) incluiu no Programa de Sustentação do Investimento (BNDES PSI) financiamento de ônibus elétrico e híbrido. Uma das condições é que os equipamentos sejam acessíveis a deficientes físicos, o que não acontece em modelos convencionais.
Neste mês deverá ser divulgada a lista dos projetos escolhidos. Carlos Henrique Malburg, gerente do Departamento de Desenvolvimento Urbano do BNDES, informou que a participação do banco por projeto chega a 90%, e as taxas são de 5% ao ano. A vigência do PSI vai até dezembro de 2012.
A nova linha de ônibus da Mercedes-Benz foi concebida com o mesmo sistema usado na Europa. Ricardo Silva, vice-presidente de ônibusAmérica Latina da Mercedes-Benz, explica que o motor reduz o volume de emissões de óxidos de nitrogênio por meio da conversão emnitrogênio puro e em vapor de água, inofensivos à natureza. Cerca de 200 veículos já foram vendidos para clientes de São Paulo e 150 para o Rio.
FONTE: Valor Econômico
Material jornalístico passível de direitos autorais. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes. Antes de reproduzir por qualquer meio, consulte sobre autorização.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...