sábado, 23 de junho de 2012

Mercedes-Benz destaca na Rio+20 as vantagens ambientais do uso de diesel de cana e biodiesel em caminhões e ônibus

10 ônibus rodoviários O 500 RS da Mercedes-Benz, movidos a 100% de diesel de cana, serão utilizados no transporte de delegações durante a Rio+20 – Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, no Rio de Janeiro
Com assessoria de imprensa da Mercedes-Benz
Pioneira no desenvolvimento e nos testes com o uso de diesel de cana e de biodiesel em caminhões e ônibus no Brasil, a Mercedes-Benz ganha destaque por sua experiência com combustíveis alternativos durante a Rio+20 – Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. Este mega evento de expressão mundial será realizado na cidade do Rio de Janeiro, entre os dias 13 e 22 de junho, com a presença de autoridades de vários países, acadêmicos, especialistas, profissionais e diversos outros públicos.
O uso de combustíveis alternativos em veículos Mercedes-Benz traz muitas vantagens para as empresas e os operadores de transporte. Graças aos desenvolvimentos já aplicados aos motores da marca, o diesel de cana com teor de 30% e agora o biodiesel com teor de 20% podem ser utilizados normalmente em caminhões e ônibus, independentemente do ano de fabricação, sem necessidade de modificações no motor.
“Além disso, são mantidos a eficiência e o excelente desempenho, com menores emissões e reduzido consumo”, diz Gilberto Leal, gerente de Desenvolvimento de Motores da Mercedes-Benz do Brasil. “Isso reforça a confiança da Mercedes-Benz no uso desses combustíveis alternativos, que se mostram como opções interessantes, pois não requerem alteração na estrutura da frota atual”.
De acordo com o executivo, outra grande vantagem dos veículos comerciais Mercedes-Benz é que eles podem ser abastecidos com diesel comercial, diesel de cana e biodiesel. Ou seja, os caminhões e ônibus da marca são efetivamente multicombustíveis, preservando a qualidade, eficiência, durabilidade e confiabilidade dos produtos.
“Estamos mostrando ao mercado que o diesel de cana e o biodiesel, experiências pioneiras da nossa marca, são as mais viáveis alternativas de combustível ‘limpo’ para o nosso País”, diz Gilberto Leal. “Mais uma vez, nossa marca indica o caminho a seguir, consolidando também um trabalho de parceria na busca por soluções sustentáveis”.
Ônibus a 100% diesel de cana transportam delegações - A Mercedes-Benz disponibilizou 10 ônibus rodoviários O 500 RS, movidos a 100% de diesel de cana, para os organizadores da Rio+20. Esta frota será utilizada para o transporte de delegações participantes do evento. “O uso de 100% de diesel de cana demonstra a alta competência do nosso Centro de Desenvolvimento Tecnológico na preparação de motores para combustíveis sustentáveis”, diz Gilberto Leal. “Isso também atesta a confiança da Empresa nessa nova fonte energética para o presente e o futuro da mobilidade nos veículos comerciais”.
Resultados dos testes com uso de 30% de diesel de cana em ônibus urbanos no Rio de Janeiro serão divulgados na Rio+20 - Os excelentes resultados obtidos pela Mercedes-Benz do Brasil com o uso do diesel de cana também estarão em evidência na Rio+20 com a divulgação pela Fetranspor (Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro) das avaliações dos testes com o uso de 30% de diesel de cana em 20 ônibus urbanos Mercedes-Benz, que circulam em operações regulares na cidade do Rio de Janeiro desde janeiro deste ano.
Realizada em parceria, essa iniciativa envolveu a Fetranspor e a Mercedes-Benz, Amyris Brasil e Petrobras Distribuidora. O acompanhamento e os relatórios técnicos de desempenho, consumo e emissões estão a cargo do Coppe – Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Maior centro de pós-graduação e pesquisa em engenharia da América Latina, o Coppe foi especialmente contratado para esse projeto.
Após quase um semestre de testes no Rio de Janeiro, os ônibus Mercedes-Benz movidos a 30% de diesel de cana e mais 70% de diesel comercial foram aprovados por seu desempenho e pela eficácia ambiental e econômica. Além disso, cerca de 100 ônibus Mercedes-Benz a diesel de cana já circulam regularmente na cidade de São Paulo, fazendo parte da Ecofrota.
Numa primeira fase de testes nos bancos de prova de seu Centro de Desenvolvimento Tecnológico, a Mercedes-Benz utilizou em um tanque de combustível 90% de diesel comercial (com teor de enxofre S50) e 10% de diesel de cana. Mesmo com um percentual aparentemente pequeno, esse combustível proporcionou redução de 9% nas emissões de Material Particulado, sem aumentar as emissões de Óxidos de Nitrogênio (NOx).
Caminhões e ônibus Mercedes-Benz estão aptos para biodiesel B20 - Confirmando os excelentes resultados obtidos pela Mercedes-Benz com a utilização de combustíveis alternativos, durante a Rio+20 será anunciada também a garantia dos motores da marca para uso do biodiesel B20 (teor de 20% de biodiesel). A Empresa já realizou mais de 2.200.000 km de testes de operação com biodiesel B20 em ônibus urbanos.
Atualmente, misturas até B5 (teor de 5% de biodiesel) podem ser utilizadas normalmente em caminhões e ônibus, novos e usados, já incluindo os modelos que atendem ao Proconve P-7, sem necessidade de alterações no veículo e no motor. A partir de agora, isso também será válido para o B20, mantendo-se os mesmos níveis de desempenho, consumo e emissões, com destaque para a redução de 35% na emissão de Material Particulado.
O anúncio da validação do B20 para veículos Mercedes-Benz será feito no dia 19 de junho, durante evento da Ubrabio (União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene) dentro da programação do seminário da GBEP (Global Bioenergy Partnership), fórum de diálogo que busca apoiar a formulação de políticas públicas para maior utilização sustentável da bioenergia. A GBEP reúne 35 parceiros e diversos observadores de governos, organizações internacionais, setor privado e sociedade civil.
Com sede em Brasília, há cinco anos a Ubrabio desenvolve trabalho sistemático e efetivo na representação de toda a cadeia produtiva desse combustível renovável em prol da evolução do Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel – PNPB. O corpo de associados compreende produtores de biodiesel e matérias-primas, fornecedores de equipamentos e de tecnologias e serviços ligados ao setor.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...