segunda-feira, 9 de julho de 2012

Falhas na operação podem acarretar acidentes no BRT


Texto: Ronaldo Andrade Inácio
Onibus brt
Nas viagens semanais de Pedra de Guaratiba até Jacarepaguá venho usando o serviço dos BRT´s do Corredor Transoeste e o que mais se ouve dentro das composições são elogios ao serviço, principalmente por pessoas que o usam pela primeira vez. Os grandes destaques nos ligeirões continuam sendo a rapidez na ligação entre extremos, à reutilização do bilhete único em outros transportes, às ótimas condições de higiene em todos os níveis e a facilidade no tráfego que torna os in
tervalos entre composições mínimo nas duas linhas (expressa ou paradora).
Existem ainda novos usuários ou passageiros mal esclarecidos que comentam que "gostariam de saber qual a solução para o caso de um BRT enguiçar na pista exclusiva". Essa explicação foi exibida na TV e um engenheiro comentou sobre o procedimento a ser seguido. Coincidentemente nesta semana em uma de minhas viagens não registramos nenhum caso desse tipo, entretanto havia uma obra emergencial sendo executada na pista do BRT no sentido Barra-Santa Cruz, entre as estações do Mato Alto (ainda desativada) e Magarça. Sem nenhum contratempo, uma equipe de agentes da central de operações do Transoeste sinalizava a pista e solicitava aos BRT´s naquele ponto passarem para a pista normal. Antes de chegar à estação do Magarça, os BRT´s retomavam a pista segregada sem nenhum problema.
Infelizmente em meio a essa euforia foram verificados alguns pequenos inconvenientes que estão dificultando a operação normal do sistema e cremos que os protocolos devem ser revistos para que não se registrem empecilhos no bom serviço do Transoeste.
Na última quarta-feira, dia 4 de julho, embarquei na Estação Pingo D´Agua em direção ao terminal Alvorada. Em menos de 2 minutos surgiu à composição "Alvorada - Parador" e após estacionar na plataforma, as portas conjuntas (da composição e da estação) foram abertas e ao mesmo tempo se fecharam, dando chance apenas para uma única passageira embarcar. Nenhum dos passageiros do BRT conseguiu desembarcar bem como os demais que estavam na estação (em torno das 10:00 hs.) conseguiram ingressar. A composição então partiu e todos ficaram sem entender o que teria acontecido, mas com a certeza de ter presenciado uma grande falha na operação.
Um guarda explicou que a composição ao parar, o fez de forma inadequada porque a distância entre o BRT e a plataforma estava demasiadamente distante (isso foi notado pelos passageiros). Talvez por esse motivo os sensores não permitiram o funcionamento normal das portas (segundo informação do funcionário). De qualquer forma causou um inconveniente aos passageiros que não receberam sequer um pedido de desculpas. Cremos que o motorista do BRT (que recebeu treinamento) deveria através de manobra apropriada ter corrigido o ângulo para aportar na estação. A senhora que embarcou, praticamente teve que pular para dentro do Ligeirão, correu risco e poderia ter se acidentado ao cair no vão da plataforma ou levar um tombo dentro do vagão.
Cerca de um minuto após a saída desse BRT passou em velocidade pela estação (através da pista de desvio) uma composição da categoria "expressa" e depois do segundo minuto, surgiu um terceiro "azulzinho" da linha paradora onde todos finalmente embarcaram. Nesta viagem percebeu-se que os alertas sonoros que avisam aos passageiros a chegada das estações estavam muito baixo e os passageiros então não entendiam assim o que relatava a mensagem eletrônica.
Vindo de Jacarepaguá, preferi embarcar na estação Bosque da Barra (a primeira após o Terminal Alvorada). Eram em torno das 14:30 hs. e certamente não haveria problemas de superlotação. Em menos de um minuto após chegar à estação, surgiu no sentido da Barra para Santa Cruz uma composição "expressa" que passou rapidamente pelo desvio da estação. Um minuto em seguida surgiu outra composição que apresentava a vista "parador" e quando todos (cerca de 10 pessoas) preparavam para embarcar o BRT surpreendentemente passou direto pela estação usando o desvio destinado aos "expressos". Não se pode dizer que estava sendo enviado à garagem porque dentro do mesmo haviam passageiros. Isso provocou um "burburinho" entre os que estavam na estação que chegaram à conclusão que o manobrista (ou motorista) errou no acerto do painel frontal onde indica a categoria da composição (expresso ou parador). Em curto intervalo após esse incidente surgiu na descida da rampa do Terminal Alvorada (poucos metros a frente desta estação) um terceiro Ligeirão "expresso" que também não parou na estação (como era de se esperar). A esta altura, os cerca de 10 passageiros já impacientes revolveram embarcar em composição retornando ao "Alvorada" e assim viajar no sentido Santa Cruz sem nenhum problema.
Fato semelhante ao incidente da manhã, ou seja, o BRT abriu as portas, mas não foi acompanhado pelas portas da estação que permaneceram fechadas. O grupo de passageiros já visivelmente decepcionados pode finalmente embarcar no segundo BRT que aportou na "Bosque da Barra" em menos de um minuto depois. Notou-se que todos os painéis informativos com horário das composições (mesmo pela manhã) só exibiam informações referentes às que seguiam de Santa Cruz para o Terminal Alvorada.
No BRT usado para nosso retorno o único aviso sonoro que funcionava era o de "portas fechando". Não sabemos se a veiculação desses comunicados é aleatória, mas deveria existir em todas as composições, sobretudo o que comunica a chegada das estações, pois é auxílio precioso principalmente às pessoas de idade ou que não conhecem as regiões por onde passa o sistema (e igualmente ao metrô e deveriam também ser expressos em inglês).
Acertos realizados:
1) Foi acrescentado mais um carro na operação da linha 896A (Estação Pingo D´Agua - Pedra de Guaratiba). Constatou-se que esta linha em verdade liga a estação do BRT Pingo D´Agua até o Bairro Piraquê. Em futuro unirá as estações Mato Alto e Pingo D´Agua e desta feita passará a ser realmente utilizada beneficiando muitos residentes no bairro.
2) Foi adicionado um número maior de carros na linha de micro-ônibus 885 (Piraquê - Santa Cruz) o que diminuiu consideravelmente os grandes intervalos. Assim, quem embarca ou desembarca na estação Pingo D´Agua possui uma segunda chance para reutilizar o Bilhete Único se deixar de embarcar na linha 896A.
3) Todos os ônibus alimentadores ou convencionais que procedem de Santa Cruz são obrigados agora a parar no mini-terminal de ônibus do Pingo D´Agua e isso facilita sobremaneira aos passageiros. Agora, a parada de ônibus da pista externa está sendo usada apenas para embarque nas linhas procedentes de Santa Cruz e Itaguaí, para a Barra e Castelo (além das vans). A turma do moto táxi também se encontra agora presente neste local uma vez que é um serviço bastante procurado para cobertura de pequenas e médias distâncias para quem tem mais pressa e disposição.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...