sexta-feira, 3 de maio de 2013

Problemas E Soluções Para O Transporte Em Nilópolis

Nilópolis tem uma extensão territorial de 19,2 quilômetros quadrados, sendo que somente 9 Km² são ocupados pela população. E estes nove quilômetros podem ser percorridos por meio das dez linhas de ônibus municipais operadas por apenas duas empresas, além dos mototáxis que circulam na cidade. Destas, sete são operadas pela Expresso São Francisco e três são operadas pela Nilopolitana. A primeira circula em toda a cidade e a segunda, apenas pelo lado da agremiação carnavalesca Beija-Flor de Nilópolis.
O motivo da Expresso São Francisco ter mais linhas do que a amarelo-cinza de Nilópolis se deve ao fato da empresa ter adquirido linhas de tradicionais empresas da cidade, como a Transportes Vilma, que – na época – operava a linha Soares Neiva x Rodoviária. Mas isso é um papo para uma Sessão Nostalgia, do site Relatos de Viagem Etc., nosso parceiro.
As linhas possuem uma demanda invejável e nunca estão vazios. Mas mesmo assim, ainda deixam a desejar na sua operacionalidade e no que tange à cumprimento de horários. Também há o problema de muitas linhas sobrepostas.
Uma solução seria a reorganização dos itinerários das linhas que passam no Centro da cidade. Duas linhas poderiam, a exemplo da linha Soares Neiva x Rodoviária que tem como itinerário a Av. Vereador Luiz Ribeiro, ter parte do seu itinerário na Rua Mário de Araújo.
Algumas delas poderiam ser as linhas Novo Horizonte x Pedro Alvares Cabral e Maria Braga x Cabral (Via Olinda), da Expresso São Francisco. A Avenida Mirandela receberia as linhas Mirandela x Cabral e Manoel Reis x Rodoviária, além das linhas intermunicipais operadas pela Expresso São Francisco. Outro detalhe interessante seria a volta do ponto regulador da 439 (Nilópolis x Mesquita) para a Rodoviária.
Outra solução seria o remanejamento de linhas intermunicipais que cruzam o território nilopolitano: Elas passariam a seguir pela Rua João Pessoa e sairiam na Rua João Rodrigues da Cunha e saindo no final da Rua Getúlio Vargas. Assim, algumas linhas seriam estendidas e o trânsito da Getúlio Vargas respiraria melhor. Mas isso dependeria de um projeto de lei que alteraria o sentido da Rua João Pessoa.
No outro lado, o entorno da Praça Prefeito Miguel Abrão sofre com o grande número de pontos de ônibus. Em frente ao Colégio Nilopolitano, há pontos finais de linhas municipais da Expresso São Francisco e em frente a Estação de trem da cidade, há pontos intermunicipais. Juntando isso tudo, confusão no trânsito nos horários de pico. Para isso, uma proposta interessante é a adoção de linhas circulares ligando os bairros do primeiro distrito aos bairros de Olinda.
Outra solução bem interessante é a utilização da Rodoviária como ponto de integração entre as linhas que circulam na cidade, onde o passageiro pode pegar outro ônibus dentro da rodoviária sem pagar a mais por isso. Exemplo: O cidadão que sai do Cabral e deseja ir ao Bairro Nova Cidade, pegaria um ônibus até a Rodoviária e de lá pegaria outro para o seu destino final, pagando apenas uma tarifa.
Fonte: Nilopolis On Line.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...